Pequena dança para crescer nos vãos (2014-2015)

“Pequena Dança para Crescer nos Vãos”, com direção artística de Luciana Bortoletto, parte integrante do projeto “Entre-Espaços: Relações possíveis no encontro com a rua”, que conta com o apoio do 16º Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo”.

Inspirado na poética haicai, o trabalho surge da observação de vegetações que brotam em pequenas brechas em meio ao concreto na rua São Bento (e centro histórico de São Paulo). Haicai é poesia tradicional japonesa; em apenas três versos manifesta uma síntese da relação entre espaço (elemento permanente), ação (ruptura, elemento transitório) e reverberação poética (consequência do choque entre os elementos anteriores). Haroldo de Campos, no livro “A Arte no Horizonte do Provável” apresenta a seguinte definição: “o haicai relaciona dois elementos básicos, segundo a lição de Bashô, reproduzida por Donald Keene: um de “permanência” (a “condição geral”, como por exemplo, a primavera, o fim do outono, etc), outro de “transformação”.

“Pequena Dança…” propõe ações coreográficas que consideram esses elementos fundamentais do haicai. Valoriza a simplicidade e a sutileza e compreende as ações como uma ruptura na rotina da rua. O núcleo artístico capta os flagrantes da natureza e os transforma em ações coreográficas em espaços simbólicos presentes na arquitetura da rua e seus vãos, entre as pessoas em trânsito, nas possibilidades de encontro, nas memórias antigas e recentes desse lugar.

Ao fazer uma analogia entre corpo (suas camadas: pele, músculo, osso) e rua (sua arquitetura, tensionamentos, fluxos, relações), é feita uma espécie de trabalho “arqueológico”. Os artistas vivenciaram experiências e elaboraram a obra “Pequena Dança para Crescer nos Vãos” em meio a patrimônios materiais e imateriais, às suas paisagens sonoras, aos gestos de quem transita e trabalha. Dança que deixa rastros e resíduos por onde passa, como uma planta que brota na fachada de um prédio antigo.

O projeto “Entre-Espaços: Relações possíveis no encontro com a rua”, promoveu um encontro com o coreógrafo francês Fabrice Ramalingom para realização de um workshop especialmente elaborado para dialogar com o processo de criação do … AVOA! Núcleo Artístico. Foram quatro dias de encontros na Universidade Anhembi Morumbi e Centro de Referência da Dança e o último dia aconteceu uma ação-experimento no Vale do Anhangabaú, Rua São Bento, na altura da Praça Antônio Prado e Rua São Bento com a Praça do Patriarca. Essa parceria teve uma relevância muito grande para o trabalho do grupo.

A ESCOLHA DA RUA SÃO BENTO

A Rua São Bento tem muitas camadas. Ela existe desde que São Paulo ainda era apenas uma vila e constitui a história mais antiga da cidade. ‘Camadas’ da Rua São Bento, significam, para o …AVOA! Núcleo Artístico, a sua história, transformações arquitetônicas, as pessoas que ali trabalham. E ao friccionar algumas dessas camadas, os fluxos rotineiros, investigam-se as relações possíveis entre a dança e o contexto no qual está inserido.

…AVOA! Núcleo Artístico

Com atividades desde 2006 e direção de Luciana Bortoletto, o …AVOA! Núcleo Artístico atua em espaços públicos de grande circulação e alternativos intimistas; se interessa pelo diálogo entre dança, poesia haicai, artes visuais e performance. Desenvolve ações artísticas e pedagógicas relacionando essas linguagens. Foi contemplado na 8ª, 14ª e atualmente 16ª Edição do Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo, com o projeto “Entre-Espaços: Relações possíveis no encontro com a rua”. Recebeu os prêmios SESI Dança – 2007, 1º Prêmio Denilto Gomes na categoria “solo de rua” – 2013. Grupo convidado para o Festival Internacional Visões Urbanas, na cidade do Porto, em Portugal e selecionado para a Bienal SESC de Dança 2013 com a obra “Solo de Rua”.

FICHA TÉCNICA

Concepção e Pesquisa: …AVOA! Núcleo Artístico
Direção Artística: Luciana Bortoletto
Pesquisa, criação, performance, produção de imagens e poesias: André Simões, Edi Cardoso, Juliana Rosa, Luciana Bortoletto, Piéra Varin e Simone Lima
Registro fotográfico e audiovisual do processo de criação/ edição de vídeos: Gil Grossi
Orientação dramatúrgica: Valéria Cano Bravi
Geopoética dos Sentidos e orientação em Arte Pública/Relacional: Lilian Amaral
Preparação Corporal: Erika Moura, Melissa Bamonte e Fabrice Ramalingom
Figurinos: Telumi Hellen
Costureira: Elisangela Dally
Produção (I e II Etapa): Anderson do Lago Leite
Produção (III Etapa): Aline Grisa – Bufa Produções
Assistência de produção: Lívia Império, Maria Emília e Naiara Bastos
Apoiadores e parceiros: Edifício Martinelli, Centro de Referência da Dança, Galeria Olido, Universidade Anhembi Morumbi, EMIA (Escola Municipal de Iniciação Artística), Biblioteca Infanto-juvenil Monteiro Lobato, Ação Educativa, Lanchonete Guanabara, Academia Activa e Associação Viva o Centro

 

 

Ficha Técnica
Concepção, pesquisa, cocriação, direção